segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Nasa registra erupção solar em vídeo

O Observatório Dinâmico Solar da Nasa registrou em vídeo uma enorme erupção solar no dia 24 de fevereiro deste ano. No vídeo abaixo, as imagens foram aceleradas, mas o fenômeno teve duração real de cerca de 90 minutos.
Este não foi a maior erupção solar já registrada, e por sorte ela aconteceu na face que não estava voltada para a Terra. Caso estivesse direcionada para o nosso planeta, a atividade solar poderia ter danificado satélites e comunicações por ondas de rádio.
Assista ao vídeo abaixo:

A erupção solar é uma explosão na superfície do Sol causada por mudanças no seu campo magnético. A atividade é muito comum, mas se intesificou nas últimas semanas. De acordo com a Nasa, os gases que emergem da superfície solar atingem temperaturas de mais de 1,5 milhão de graus centígrados.


Voluntários da simulação de voo a Marte "vão embora" do planeta vermelho

Homens se trancaram por 520 dias para testar os limites humanos


Divulgação/ESA
No dia 14 de fevereiro, a simulação chegou ao seu ponto máximo,
quando dois astronautas “tocaram” o solo de Marte
Os voluntários que se trancaram por 520 dias para simular um voo a Marte abandonaram nesta quarta-feira (23) a "superfície" do planeta vermelho, primeira etapa da "viagem" de volta à Terra, informou o Instituto de Problemas Biomédicos (IPBM) da Academia de Ciências da Rússia em Moscou, onde está sendo realizado o experimento.
Três dos voluntários da viagem, o russo Aleksandr Smoléyevski, o ítalo-colombiano Diego Urbina e o chinês Wang Yue, permaneceram vários dias na área que simula a superfície marciana, onde efetuaram três caminhadas. Depois, entraram a bordo do "módulo" rumo à "nave" interplanetária, à qual se acoplará próxima quinta-feira (24).
No entanto, deverão passar uma quarentena de três dias antes de poder abrir a escotilha e sair para o interior do laboratório que simula a nave. Ali serão recebidos pelos outros três participantes do experimento Mars-500, os russos Alexey Sitev e Sujrob Kamólov e o francês Romain Charles, que permaneceram na "órbita marciana" desde o dia 1º de fevereiro.
O experimento, que começou no dia 3 de junho de 2010, serve para estudar a compatibilidade psicológica e a tolerância dos membros de uma tripulação durante um voo no espaço. Seus participantes compartilharão durante um total de um ano e cinco meses os 550 m3 que somam os quatro módulos cilíndricos que formam o simulador, situado em um galpão do IPBM.
Eles permanecerão isolados do mundo exatamente durante o tempo que leva o voo de ida e volta a Marte, 490 dias, além de outros 30 dias de estadia simulada no planeta vermelho.
O retorno dos cosmonautas à Terra está previsto para o dia 5 de novembro deste ano. A Agência Espacial Europeia (ESA) e a russa Roscosmos lançaram em 2004 o projeto, que mais tarde teve a adesão da China. O projeto tem colaboração dos Estados Unidos e da Espanha.
Em novembro de 2007 foi realizado o primeiro experimento preparatório no qual seis voluntários russos permaneceram isolados por duas semanas. Em julho de 2010 aconteceu uma simulação de voo a Marte que durou 105 dias. 

domingo, 27 de fevereiro de 2011

A maior Estrela do Universo tem 300 vezes a massa do Sol

Chamada pelos cientistas, na falta de hiperlativos, de "estrela hipergigante", a R136a1 tem mais de 300 vezes a massa do Sol - isto é duas vezes mais do que os astrônomos acreditavam até hoje ser o tamanho máximo de uma estrela. [Imagem: ESO/M. Kornmesser]

Combinando medições feitas por instrumentos do Very Large Telescope do ESO (Observatório Europeu do Sul), astrônomos descobriram as estrelas de maior massa conhecidas até hoje, inclusive aquela que agora merece o título de "maior estrela do Universo" quando o critério é a massa, e não o diâmetro.
Chamada pelos cientistas, na falta de hiperlativos, de "estrela hipergigante", ela tem mais de 300 vezes a massa do Sol - isto é duas vezes mais do que os astrônomos acreditavam até hoje ser o tamanho máximo de uma estrela, que se calculava ser de 150 massas solares.
A existência dessas estrelas monstruosas - milhões de vezes mais luminosas do que o Sol, e que perdem massa através de poderosos ventos estelares - reabre a questão, mas também poderá ajudar a responder a pergunta "Qual é o tamanho máximo que uma estrela pode ter?" Por enquanto, elas podem ser tão grandes quanto a mais pesada que pudemos encontrar.
A R136a1 não é apenas a estrela de maior massa já encontrada, mas é também a que apresenta a maior luminosidade, sendo cerca de 10 milhões de vezes mais brilhante do que o Sol.
"Devido à raridade de tais objetos, penso que será bastante improvável que este novo recorde seja batido rapidamente," diz Paul Crowther, da Universidade de Sheffield, na Inglaterra, que chefiou a equipe que fez a descoberta.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

Nova sonda da NASA chegará até a atmosfera Solar


NASA está desenvolvendo uma missão que estudará o Sol mais de perto do que nunca.
O projeto, conhecido como Solar Probe Plus, deve ser lançado por volta de 2018, colocando uma nave em plena atmosfera solar.
A apenas 6.437.376 km da superfície do astro, uma região jamais visitada por qualquer sonda, o equipamento da Agência Espacial Americana terá que suportar temperaturas de mais de 1300º C e fortes radiações.
A nave, do tamanho de um carro, carregará cinco experimentos que têm a função específica de esclarecer dois mistérios-chave da física solar: por que a atmosfera exterior é tão mais quente do que a superfície visível do Sol; e o que impulsiona o vento solar que afeta a Terra e o nosso sistema planetário?
Em 2009 a NASA convidou pesquisadores a enviarem propostas científicas para integrarem a missão. Treze foram analisadas e as cinco escolhidas receberão US$180 milhões somente para análises preliminares, criação do design, desenvolvimento e testes.
O objetivo principal é entender, caracterizar e prever a radiação do Sol – o que seria muito útil para futuras missões espaciais tripuladas.
Fonte: INFO

Google e Nasa planejam internet interplanetária

Em entrevista a CNN, Vint Cerf, vice-presidente mundial do Google e "pai da internet", afirmou que o Google pretende instalar um servidor de protocolos "interplanetários" de internet dentro de uma nave espacial ainda em 2011.



“Existe um projeto chamado Internet Interplanetária sendo testada na ISS (Estação Espacial Internacional). Estou trabalhando nela desde 1998 com a NASA”, disse Cerf ao ser questionado por um telespectador se um dia haverá conexão à internet em outros planetas.
“Novos protocolos serão necessários para se fazer as comunicações interplanetárias. Porque o atual sistema TCP/IP [o protocolo em que se baseia a internet atual] simplesmente não funciona em viagens de longa distância”, explicou.
"Estamos quase prontos para fazer a comunicação com Marte e missões que ocorrerão em 2015 e 2016. Algumas pessoas dizem: ‘É um maluco, espera se comunicar com extraterrestres?’ E eu digo: ‘Não, eu espero que as naves espaciais possam se comunicar entre elas e com a Terra’. É para isso que servem os novos protocolos”, disse ainda Cerf.
O executivo também comentou sobre a nave Epoxi, que está em órbita do Sol, já está equipada com os protocolos interplanetários (codenome Bundle) para testa-los. Ele acrescenta que ainda é preciso padronizar a tecnologia e tornar disponível aos países que exploram o espaço.

Discovery se acopla com sucesso à Estação Espacial Internacional

A nave Discovery chega a Estação Espacial Internacional e se acopla sem problemas



Robonaut 2: o primeiro robô humanóide a fazer uma viagem espacial
A nave Discovery se acoplou neste sábado à Estação Espacial Internacional (ISS) com seus seis tripulantes e um módulo carregado de peças de reposição, de equipes e do Robonaut 2, o primeiro robô humanoide a viajar ao espaço. 

O comandante Steve Lindsey e o piloto Eric Boe executaram sem contratempos a manobra de acoplamento, que foi concluída às 16h14 do horário de Brasília, dois minutos antes do previsto. 

A nave foi lançada na quinta-feira do Centro Espacial Kennedy na Flórida para empreender uma última missão de 11 dias antes que a Nasa a retire de funcionamento. 

A chegada do Discovery aumenta o peso da ISS até 545 toneladas, um recorde de massa já que tem acoplado, pela primeira vez ao mesmo tempo, a nave, os módulos espaciais ATV e HTV e as naves russas Soyuz e Progress. 

A operação começou três horas antes do acoplamento, quando a tripulação ligou o motor esquerdo do Sistema de Manobra Orbital durante 11 segundos, para colocar a nave na rota correta rumo à ISS. 

Por volta das 15h15 do horário de Brasília, o comandante Lindsey começou a manobra conhecida como "cambalhota para trás", para permitir que os astronautas da estação espacial tirem fotografias das placas que protegem o Discovery contra o calor. A nave descreveu a continuação até posicionar-se a 94 metros na frente da Estação, para permitir que o complexo espacial o interceptasse à hora prevista. 

Os tripulantes do Discovery serão recebidos em cerimônia especial na ISS, um momento muito esperado dentro da última missão da nave. Dois dos astronautas, Alvin Drew e Steve Bowen, protagonizarão a seguinte etapa da missão na segunda-feira, com o primeiro de seus dois passeios espaciais previstos, que durará seis horas e lhes permitirá instalar uma câmera na estrutura da estação, a fim de criar um ponto de conexão entre o espaço e a Terra. 

Terras a Vista


Desde que Galileu criou um telescópio melhor que o de Hans Lippershey e fez algo impensável, apontou-o para os céus, a Astronomia nascera e passou de uma ciência estática para um dinamismo cada vez mais incrível. Muitas descobertas foram feitas e grandes astrônomos surgiram, entre os quais destaco Hubble e Lemaitre.
No final do ano passado, fomos surpreendidos com uma descoberta fantástica, de um planeta quase do tamanho da Terra e que poderia ser habitável. E essa “irmã” está nas vizinhanças, somente 20 anos-luz daqui, orbitando uma estrela anã, chamada de Gliese 581. Assim, os astrônomos batizaram o planeta de Gliese 581g. Calcularam a massa em mais de três vezes a da Terra e o período orbital de cerca de 37 dias. Pela massa, acreditam que seja um planeta rochoso e a gravidade deve ser um pouco maior que a nossa. O mais incrível é que eles usaram telescópios comuns e 11 anos de estudos.
Ninguém tinha ouvido qualquer astrônomo falar nessa possibilidade antes de 2000, quando os astrônomos descobriram que seria possível detectar planetas medindo as variações no brilho das estrelas que orbitam. Ao passar na frente de sua estrela, eles alteram momentaneamente parte de seu brilho. Uma espécie de eclipse. Desse fenômeno, podem medir a duração, a intensidade e outras características do planeta. Um satélite até foi criado usando essa técnica, o Kepler, lançado em 2009 com o objetivo de encontrar planetas em outros sistemas solares.
Quando os astrônomos iniciaram a busca por planetas orbitando estrelas, apenas planetas gigantes, como o nosso Júpiter, e que tinham órbitas muito próximas de suas estrelas puderam ser detectados. Isso se deve à atração gravitacional que exerciam sobre suas estrelas. Porém, gigantes gasosos têm pouca probabilidade de gerar vida.
Com a melhoria das técnicas, a expectativa voltou-se para os planetas localizados na “zona habitável”, localizada a uma distância da estrela em que pode ter água líquida e, portanto, reunir as condições favoráveis à vida, ao menos como a conhecemos. A NASA já confirmou a existência de 500 planetas, e outros 1.235 estão a espera de confirmação, sendo que é esperado que pelo menos 80% desses sejam mesmo planetas. Destes, 54, de variados tamanhos, estariam na "zona habitável".  Sendo que cinco deles têm tamanho aproximado ao da Terra. Os cientistas ainda acreditam que mesmo os grandes, como Júpiter, poderiam ter luas do tamanho da Terra, com atmosfera e água.
Uma curiosidade animadora é que os estudos têm mostrado que aproximadamente uma em cada cinco estrelas tem sistemas planetários. Isso significa que deve existir muito mais astros do que antes se imaginava. O Kepler tem a missão de observar 156 mil estrelas do tipo da nosso sol por pelo menos 3 anos e meio, tempo estimado para descobrir planetas similares ao nosso e que tenham um período orbital de um ano. Aguardemos as novidades.

Fonte: O Nortão

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Discovery Programado para ser lançado hoje na Missão STS-133



O último lançamento do vaivém espacial Discovery, hoje no Centro Espacial Kennedy, no Estado norte-americano da Florida, marca o início do fim dos vaivéns da agência espacial norte-americana (NASA), quase 30 anos depois do voo inaugural do Columbia.
Segundo Charles Bolden, administrador da NASA, depois de o Discovery voltar a 7 de março da missão de abastecimento da Estação Espacial Internacional (ISS), ainda haverá outras duas missões dos «shuttle»: o Endeavour em abril, e o Atlantis no verão.

Numa altura em que os norte-americanos debatem acaloradamente cortes orçamentais em todas as áreas, para fazer face a um crescente défice das contas públicas, muitos questionam a oportunidade deste terceiro voo -- avaliado em mais de 500 milhões de dólares.

Você poderá acompanhar notícias atualizadas e a contagem nesse link que leva direto para o site oficial da Agência Espacial America na ( NASA) .


domingo, 20 de fevereiro de 2011

Discovery partirá em direcção a ISS quinta-feira



A Nasa confirmou que o vaivém Discovery sairá de terra em direcção a Estação Espacial Internacional, ISS, na próxima quinta-feira.  A bordo vão seis astronautas e a descolagem está prevista para as 16h50 locais (21h50 em Lisboa), do Centro Espacial Kennedy, em Florida, EUA.
Esta missão que durará 11 dias terá como objectivo lançar o “Robonaut 2″, o primeiro robô humanóide a voar no Espaço que ficará ligado de forma permanente à ISS de forma a fazer testes e realizar tarefas.
De relembrar que esta missão estava anteriormente agendada para 5 de Novembro, mas teve de ser cancelada devido a uma fuga de hidrogénio no sistema de abastecimento do reservatório exterior e também mais tarde de fissuras nos arcos em alumínio do mesmo reservatório.

49 anos que John Glenn entrou em órbita da Terra


E hoje  faz exatamente 49 anos que John Herschel Glenn Jr. o primeiro astronauta norte-americano entrou em órbita da Terra a bordo da cápsula espacial Friendship 7, em 20 de fevereiro de 1962.

Friendship 7 foi o terceiro vôo tripulado do Projeto Mercury, o primeiro projeto tripulado do programa espacial dos EUA, que tinha como um de seus objetivos estabelecer a superioridade dos EUA no espaço, e suplantar as conquistas espaciais soviéticas. A médio e longo prazo, um dos objetivos era preparar a tecnologia que iria levar homens a Lua. O projeto foi seguido pelo Projeto Gemini e o Projeto Apollo. 


Em 29 de outubro de 1998, participando de uma experiência para avaliar o comportamento de pessoas da terceira idade no espaço, John Glenn, aos 77 anos, voltou pela segunda vez à órbita terrestre, desta vez como membro da tripulação do ônibus espacial Discovery, na missão STS-95 que durou dez dias.


Glenn é um dos 28 homens e mulheres a terem recebido até hoje a Medalha de Honra Espacial do Congresso, a maior condecoração concedida pelo governo dos Estados Unidos a astronautas que tenham realizado algum feito extraordinário para a nação ou para a Humanidade, no desempenho de alguma missão espacial.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Um retrato de família do Sistema Solar, de dentro para fora



Como séria uma foto do sistema solar se estivéssemos em outro planeta ?
satélites galileanos de Júpiter
(Calisto, Ganimedes, Europa e Io)
Foto: NASA



A sonda Messenger fez exatamente isso por juntar o primeiro retrato do nosso sistema solar a partir de dentro olhando para fora. Composta por 34 imagens, o mosaico oferece um complemento para o retrato do sistema solar - de fora  - obtida pela Voyager 1 em 1990.

"Obter esse retrato foi um feito fantástico pela equipe mensageiro", diz o investigador principal MESSENGER Sean Solomon, da Instituição Carnegie de Washington. "Este retrato da nossa vizinhança também nos lembra que a Terra é um membro de uma família planetária que foi formada por processos comuns de quatro e meio bilhões de anos atrás. Nossa nave está prestes a orbitar o membro mais íntimos da família, aquele que detém muitos novos respostas sobre como os planetas semelhantes à Terra são montados e evoluir. "

Wide Angle Camera MESSENGER (WAC) capturaram as imagens em 3 de novembro e 16 de 2010. No mosaico, todos os planetas são visíveis, com exceção de Urano e Netuno, que - em distâncias de 3,0 e 4,4 bilhões km - eram muito fracos para detectar. a lua da Terra e os satélites galileanos de Júpiter (Calisto, Ganimedes, Europa e Io) pode ser visto na imagem . 

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Se o Sol fosse feito de chocolate seria tão quente quanto é normalmente



O sol funciona de maneira bastante simples: devido sua enorme massa ele cria uma descomunal gravidade. Por isso seu núcleo sofre uma pressão inimaginável, que faz com que os átomos de hidrogênio que o compõe comecem a se bater lá dentro, de forma que eles se fundem gerando hélio. O que sobra dessa fusão nuclear é energia pura (como nas bombas atômicas), e isso que faz com que ele seja quente pra cacete.
Mas o interessante é que se o sol fosse de chocolate, ele esquentaria do mesmo jeito, pois a teria a mesma massa e geraria a mesma pressão. O problema é que por o chocolate não serem de hidrogênio ele se consumiria muito mais rápido.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Jaxa planeja enviar robô para o espaço


O robô deve receber instruções da Terra e enviar mensagens pelo Twitter



A Jaxa, Agência de Exploração Aeroespacial do Japão, em parceria com a Universidade de Tóquio e a agência de publicidade Dentsu, planejam criar um robô tipo humanóide que possa ajudar os astronautas na Estação Espacial Internacional.
O robô será preparado para enviar mensagens pelo Twitter, informou na terça-feira (15) a imprensa japonesa. A missão pode começar em 2013.
O plano é fazer o robô receber instruções da Terra enquanto os astronautas estiverem dormindo e transmití-las quando eles acordarem. Além disso, ele será programado para monitorar o estado de saúde dos tripulantes.

Serão os aerossóis os culpados ?



  O pó do deserto, compostos orgânicos voláteis de vegetação, a fumaça de incêndios,    florestais e cinzas vulcânicas são algumas fontes naturais de aerossóis.

Os climatologistas já sabem há décadas que as partículas chamadas aerossóis no ar podem ter um forte impacto sobre o clima. No entanto, apontar a magnitude do efeito provou desafiador devido às dificuldades associadas com a medição das partículas em uma escala global. 



Em breve um novo satélite da NASA" Gloria "deve ajudar os cientistas a recolher os dados necessários para dar respostas mais firmes sobre as partículas importante. Na Califórnia, engenheiros e técnicos na base aérea de Vandenberg está preparando Glória de 23 de fevereiro de lançamento. 

Os aerossóis, ou os gases que levam à sua formação, podem vir de escapamentos de veículos e ventos do deserto, de água do mar e os incêndios, erupções vulcânicas e fábricas. Mesmo exuberantes florestas, solos, ou comunidades de plâncton no oceano podem ser fontes de certos tipos de aerossóis. 


Estas imagens de microscópio eletrônico de varredura, que não estão na mesma escala, mostram a grande variedade de formas de aerossóis. Da esquerda para a direita: cinzas vulcânicas, pólen, sal do mar, e fuligem.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Asteróide Apophis irá colidir com a Terra em 2036, será?



Em 2004, cientistas da NASA anunciaram que existia uma chance de que Apophis, um asteróide maior que dois campos de futebol, poderia colidir com a Terra em 2029. Após algumas observações adicionais os astrônomos observaram que a chance de o "planeta assassino" atingir a Terra em 2029 era quase zero.
Agora, os relatórios da Rússia dizem que os cientistas estimam que o Apophis irá colidir com a Terra em 13 de abril de 2036 . 
"Tecnicamente, eles estão corretos, há uma chance de Apophis atingir a Terra em 2036, no entanto essa possibilidade é apenas de 1 em 250, 000", afirmou Donald Yeomans, diretor do NASA's Near-Earth Object Program Office
De acordo com cientistas russos a previsão é de que em 2029, ao passar muito próximo da Terra, os 400 metros de diâmetro do asteróide irão atravessar uma espécie “buraco de fechadura” gravitacional – uma região específica do espaço na qual o efeito da gravidade da Terra alteraria a trajetória do asteróide, causando a colisão.
O cenário mais provável é este: Apophis irá fazer uma abordagem bastante perto da Terra no final de 2012 e início de 2013, e será amplamente observado com telescópios terrestres ópticos e sistemas de radar. Se realmente sua trajetória representar perigo, a Nasa irá desenvolver um sistema e máquinas necessárias para mudar a órbita do asteróide, diminuindo a probabilidade de uma colisão em 2036 para zero.

Cosmonautas russos realizam experimentos na superfície da ISS.

                                                 Cosmonautas Russos em ação
Os cosmonautas russos Oleg Skripochka e Dmitri Kondratyev realizaram nesta quarta-feira com sucesso vários experimentos científicos na plataforma orbital do módulo russo "Zvezda" da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), informou a Nasa (agência espacial americana). 
Os cosmonautas completaram uma saída no espaço de 4 horas e 51 minutos, que começou às 11h15 do horário de Brasília, com 15 minutos de atraso, mas na qual foi possível completar todas as tarefas previstas.

Congelar orçamento? Assim não dá.

       "Um pequeno corte para Obama mas um salto gigantesco pra traz para humanidade"

Como parte dos esforços do governo para reduzir o défice público, o presidente Barack Obama anunciou o congelamento das despesas não obrigatórias por cinco anos, que afectará algumas agências como a NASA.

Pois é, e eu com esperança de ver o homem em marte ate pelo menus em 2030, mas no caminhar da carroça amigo nem a Lua em 2020 vai dar viu. É uma pena essas coisas dependerem de política.
Apesar do avanço de tecnologia e de tudo que esta tendo hoje em dia, acredite em questões de exploração espacial nos estamos sim atrasados.



Observatório Solar Dynamics: Um ano no espaço


                            



Um ano após o lançamento, SDO enviou volta de milhões de imagens impressionantes do sol e uma série de nosvos dados para nos ajudar a compreender melhor a complexa estrela no centro do nosso sistema solar.

É mano e o que indica cuidado com 2013, sim 2013 esse sim oferece perigo real. Por que quando uma tempestade geomagnética vem meu caro, ela vem com tudo. 

Vídeo de imagens em tempo real de uma das primeira imagens do SOL captadas pelo OSD ou SOD :


Ainda nessa de conspiração?

  
A tá. Ainda tem gente que não acredita que o homem foi a lua, da pra levar a sério um sujeito desse? Bom, claro que não. E você caro leitor ou futuro leitor que é mais provável.
   Você já deve de ter escutado falar na teoria da conspiração Lunar, que diz que tudo não passa de montagem e que em vez de Neil e Buzz estarem na Lua, estavam em Nevada. Pois é, mas fica outra dica aqui, acredite é um fato sim e se tem uma conspiração pode mandar alguma pergunta que eu terei o prazer de mostrar como tudo isso tem prova.
    Fato Histórico. E não uma crença. O Homem foi a Lua sim.... Apollo 11,12,14,15,16 e 17

Uma vontade de ver as estrelas. Mas como?

 Queria um telescópio refletor ou refrator para apontar para o Céu e ver as estrelas. Bom!!! Se você se enquadra nesse perfil não desanime, vai uma dica ai. Stellarium...Parece soar familiar? Talvez. você já deve de ter escutado falar dele.
   Bom, o Stellarium é um programa ótimo para quem quer observar o céu a qualquer hora do dia sem nem um gasto.Pode dar um zum nos planetas,aglomerados estelares, nebulosas, ver as constelações e algumas coisitas mas, tipo alguns satélites que orbitam  a terra.
   É um programa gratuito e fácil de usar. Quem se interessar fica a dica e o link pra download no Baixaki.

Stellarium: http://www.baixaki.com.br/download/stellarium.htm

Imagens do Stellarium:

NASA com planos ambiciosos ???

  
Pedido fiscal da NASA de 18 bilhões de dólares para 2012. Pera ai, 18 bilhões? É o que ela mesma diz em nota oficial. Bom com todo esse dinheiro esperamos que venha algo extremamente revolucionário por ai. Por que não pisar na Lua dês de 72 já é um atraso e tanto nos planos de futuro da Agencia Espacial Americana.
 Bom...De início o objetivo desse blog é falar um pouco sobre o tão fascinante Universo.
 É um lugar incrível que esta a nossa volta,mas são poucos os que tem algum interesse sobre o assusto.
 Fazer o que né?...Gosto é gosto...
Só pra ver no que dá....